PUBLICIDADES

4 de outubro de 2009

Ministério da Agricultura e Idaf apreendem produtos irregulares no Norte do Estado


Uma ação conjunta entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) e a Polícia Rodoviária Federal, culminou na apreensão de produtos de origem animal que estavam irregulares. Um posto de fiscalização foi montado na BR-101 Norte, na saída do município de Pedro Canário, próximo da divisa do Estado com a Bahia, na quinta (01) e sexta-feira(02). A atividade teve o objetivo de controlar o trânsito interestadual de produtos agropecuários. Desta forma, foram vistoriadas as cargas com materiais de origem animal e vegetal, e realizada a conferência do trânsito de animais. Foram apreendidos 2.300 quilos de pescado e 300 litros de iogurte.
Os fiscais abordaram motoristas e inspecionaram cargas de pescado, frutas, ovos e aves, dentre outros. Na quinta-feira (01) foram apreendidas duas cargas com pescado, que estavam irregulares. A primeira tinha 800 quilos, com espécies como robalo, peroá e badejo, e era proveniente do município de Alcobaça, na Bahia. O transportador afirmou que os peixes seriam comercializados na Vila Rubim, em Vitória. Um fiscal do Ministério da Agricultura desconfiou da documentação apresentada e entrou em contato com o responsável pela indústria que receberia o material.De acordo com o chefe do Serviço de Inspeção de Produtos Agropecuários (Sipag) da Superintendência Federal de Agricultura no Espírito Santo (SFA-ES), Emiliano de Aguiar Pedrozo, o local de destino negou ter adquirido o produto, o que comprovou a falsificação da nota. “Após apuração, ficou confirmado que esses peixes seriam encaminhados diretamente para o consumo, sem qualquer condição ou processamento exigido pela legislação. É uma prática ilegal, que tem sido usada por atravessadores para tentar burlar a fiscalização e levar os produtos direto para os pontos de venda”, afirmou.
Uma outra carga de pescado, com 1.500 quilos, também apresentou irregularidades no produto e na documentação e foi apreendida. Já nesta sexta-feira (02) foi abordado um veículo que transportava aproximadamente 300 litros de iogurte, sem rótulo e documentação, armazenados em garrafas PET reutilizadas. Todos estes produtos serão destruídos, pois não há nenhuma garantia que estejam aptos ao consumo.O chefe da Divisão Técnica da SFA-ES, Luiz Guilherme Barbosa, que organizou a operação, explica que esse tipo de fiscalização é realizada de forma rotineira pelo Idaf e que o intuito do Ministério é supervisionar e dar apoio a essa atividade. “Nós pudemos constatar que o Idaf vem realizando um ótimo trabalho quanto ao trânsito interestadual, tanto que foram poucas as irregularidades encontradas. Entretanto é preciso estar muito atento ao controle da circulação dos produtos agropecuários em razão do status sanitário do Espírito Santo, que é zona livre da febre aftosa com vacinação.” disse.
De acordo com o chefe do Departamento de Defesa Sanitária e Inspeção Animal do Idaf, Fabiano Fiúza Rangel, trabalhos como estes são de suma importância para impedir o trânsito de produtos irregulares, protegendo, desta forma, a saúde do consumidor. Além disso, a ação coíbe a entrada de animais vivos que não estejam acompanhados da documentação que comprova as vacinações exigidas e mostram a origem e destino dos animais. Assim, evita-se a introdução de doenças exóticas e também a reintrodução de enfermidades já erradicadas no Espírito Santo.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação/Idaf
Jória Motta Scolforo

Nenhum comentário:

 

©2009 Célio Magrini | Template Blue by TNB