PUBLICIDADES

14 de janeiro de 2009

Vila Pavão decreta situação de emergência

O governo municipal anunciou ajuda com suprimentos, remédios e colchões para as famílias atingidas pelas chuvas

O prefeito de Vila Pavão, Ivan Lauer (PMDB), na última quinta-feira, dia 08, assinou em seu gabinete, o decreto nº 221/2009, que declara situação anormal, caracterizada como situação de emergência, a área do município afetada por fortes chuvas acompanhadas de vendaval no município. O documento valerá por 60 dias e vai possibilitar a captação de recursos para reparar danos causados pelas chuvas e pela cheia dos córregos.
Dados da Coordenadoria Municipal da Defesa Civil, através do Formulário de Notificação Preliminar de Desastre, encaminhados à Inspeção da Defesa Civil do Estado, mostram que a alta concentração das chuvas ocorridas no dia 07 de janeiro de 2009 resultaram em desmoronamento e interdição de estradas, destruição de telhados, inundação de comércios, patrimônios públicos e desabamento de unidades residenciais - com 113 famílias desalojadas e cerca de 370 pessoas afetadas-, rompimento de represas e barragens, destruição de pontes e bueiros, bem como danos na agricultura em geral, afetando toda a área do município, perfazendo uma extensão territorial de 436,3 km2, com maiores danos identificados, até o momento, no Distrito de Praça Rica e adjacências.
Para o coordenador da Defesa Civil Municipal, Luiz Torres, a comunidade de Praça Rica foi surpreendida por um grande volume de água causado, possivelmente, por uma tromba d’água. “Possivelmente, uma tromba d’água caiu nas imediações causando o rompimento de represas e barragens, provocando pânico, caos e destruição, principalmente dentro do patrimônio de Praça Rica. Já orientamos aos produtores para baixarem o nível de acúmulo de água nas represas, para evitar novos rompimentos caso continuem as chuvas”, informou Torres.
Segundo moradores, o volume de água do córrego que atravessa o patrimônio começou subir às 18h30, e por cerca de três horas alagou casas residenciais, estabelecimentos comerciais, Posto Policial, e outras dependências. ”Moro em Praça Rica desde 1963 e nunca vi uma coisa igual. A água chegou rápida e não deu para salvar muita coisa”, disse o aposentado Artino Holz.
O comerciante Davi Pagung lamentou a tragédia que estragou parte das mercadorias estocadas em seu estabelecimento comercial. “Para nossa sorte, a enchente chegou ainda de dia, o que facilitou um pouco o trabalho, mas não deu para evitar o prejuízo. Agora, é limpar a sujeira, rezar para não acontecer de novo e tocar a vida”, lamentou.
Já o policial Alciney Helmer, que teve sua residência e o Posto Policial alagados, disse que passou a noite toda trabalhando, tentando salvar o que fosse possível. “Trabalhamos para salvar nossos bens e manter a calma dos moradores, com o intuito de evitar uma desgraça maior, principalmente com as crianças e idosos”, declarou.
O prefeito Ivan Lauer encaminhou o atendimento necessário através das Secretarias de Obras, Assistência Social, Saúde e Defesa Civil, para atender as necessidades das famílias atingidas pelas chuvas. “A Defesa Civil e as Secretarias Municipais realizaram levantamento dos prejuízos materiais, promoveram mutirão com orientações preventivas para evitar doenças e fornecimento de utensílios básicos, além da limpeza das ruas e casas com máquinas e o carro pipa. A administração pública esteve presente para atender aos moradores em suas dificuldades imediatas, agora, estamos trabalhando na realização de obras e serviços sociais para restabelecer o cenário destruído pelo desastre”, enfatizou o prefeito.

Nenhum comentário:

 

©2009 Célio Magrini | Template Blue by TNB