PUBLICIDADES

2 de agosto de 2016

Boa Esperança recebe empresários holandeses do ramo de Pimenta Rosa

O prefeito Romualdo Milanese recebeu na tarde de terça-feira, dia 02, representantes empresa holandesa Catz International B.V., empresa de importação e exportação de condimentos, que atua no mercado internacional há vários anos. O diretor desta empresa, Henk Moerman e sua equipe, estiveram no município para conhecerem as plantações de Pimenta Rosa (Aroeira) e Pimenta do Reino e a sua industrialização na empresa Millar, instalada em Boa Esperança.


De acordo com Millar Importação e Exportação, a pimenta-rosa é um mercado em crescimento, pois atualmente explora-se basicamente o uso culinário, sendo a utilização para a indústria de cosméticos e farmacêutica, um mercado que pode mais explorado. A aparência precisa ser bonita e os grãos não podem estar quebrados. Além disso, os compradores estrangeiros têm buscado um produto georeferenciado, a fim de acompanhar se os cultivos de aroeira estão de acordo com práticas sustentáveis de produção.

A empresa Millar exporta para países da Europa, do Oriente Médio e para os Estados  Unidos e compra matéria-prima do Rio de Janeiro, da Bahia e do Espírito Santo, sendo o Estado capixaba responsável pelo fornecimento de 90% da aroeira que chega para ser processada nessa empresa. A maior parte vem de agricultores familiares e um pequeno percentual de comunidades tradicionais.

Diante desde mercado promissor, cultivo desta pimenta pode gerar mais uma alternativa de renda para os nossos produtores familiares, com baixos investimentos para produtividade, além de resistente a seca. E esta visita nos deixou a confiança de que podemos plantar que não faltará comercialização”, ressalta o prefeito Romualdo Milanese.



De acordo com a bióloga do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Fabiana Ruas, a colheita da aroeira, normalmente, em matéria do jornal Vale do Itaunas, em 2012, no Espírito Santo, o valor chegava da pimenta a R$ 3,00 o quilo e, em 2015, o produtor capixaba recebeu de R$ 4,50 a R$ 8,50 por quilo de fruto fresco da aroeira, dependendo da região e da qualidade do produto. Segundo a Fabiana, dependendo das técnicas de manejo aplicadas e do material genético, uma planta de 3 a 5 anos pode produzir de 3 a 8 quilos e, acima de 7 anos de idade, cultivada sob boas práticas, a produção pode chegar a 20 quilos por planta.

Nenhum comentário:

 

©2009 Célio Magrini | Template Blue by TNB